segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Jardim Botânico - Coimbra

Eu andava há tempos a dizer que havia de ir ao botânico, era uma vergonha em 7 anos nunca ter ido ao botânico. Então, aproveitamos que ao sábado se realiza uma feirinha de produtos biológicos e fomos (fui) conhecer o botânico. Dos produtos que compramos resultou uma sopa maravilhosa para a sobrinha do namorado que tem de desde cedo começar a comer coisinhas boas.





Podem fazer arborismo, não me convidem porque acho muito giro mas era incapaz de fazer.




quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Fazer um irmão feliz

Pouco é preciso para alegrar o dia ao meu irmão, mais novo e mais guloso que eu basta um bolinho, por mais simples que seja, e fica todo contente.
Ontem dizia ele que estava stressado, hoje tinha teste de matemática e precisava de algo para o acalmar. Vai daí decidi fazer-lhe uns muffins de chocolate com frutos vermelhos, chocolate aquece sempre a alma.



100gr chocolate negro
110gr de manteiga
4ovos
120gr de açucar mascavado escuro
1 clr de sopa de cacau em pó
1clr de chá de essência de baunilha
1clr de chá de fermento
1 pitada de sal
frutos vermelhos a gosto

1. Derreter o chocolate e a manteiga em banho maria.

2. Bater os ovos juntamente com o açúcar e o sal até obter uma mistura homogênea.

3. Juntar o chocolate derretido ao preparado anterior e bater até ficar tudo incorporado.

4. Adicionar a farinha e o cacau (peneirados) e envolver com uma colher.

5. Encher as formas até meio e rechear, a gosto, com os frutos vermelhos. Voltar a cobrir e levar ao forno durante 15 a 20min.


Nota: Se passarem os frutos em farinha antes de colocarem no bolo estes ficarão no meio e não no fundo, como aconteceu com os meus.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

DIY - Etiquetas de Natal

Ontem comecei a embrulhar os primeiros presentes de Natal, cá por casa é sempre uma canseira. Presentes para avó, presente para o tio, presentes para o avô, o primo, a prima, a tia , a mãe e por aí fora que somos mais de muitos.

A minha mãe lá decidiu que uma vez que alguns presentes já estão comprados arrumávamos logo o assunto e ficava já tudo tratado.
Papel tínhamos comprado mas faltavam as etiquetas. Então vai que aqui a idiota olhou para uma saca da primark e teve a brilhante ideia de desenhar a etiqueta, cortar, furar, arranjar as fitinhas (azul e cor-de-rosa)  et voilà, resultado final umas etiquetas personalizadas e feitas na hora.





Claro está que podem sempre arranjar um papel mais bonito, mas estas ficaram com um ar rústico e foram feitas com amor e carinho. 



terça-feira, 24 de novembro de 2015

Uma pessoa adora-a em "Modern Familiy", aquele sotaque é incrível. Depois temos ele, em "True Blood" o melhor dos lobos.


Juntos temos um casamento de sonho e um casal lindo.Porque isto de serem giros e bons, como os helicópteros, não bastava ser só um, tinham de ser logo os dois.





segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Fim de semana cheio

Este fim de semana foi cheio de passeios e coisas boas.

Demos inicio às decorações de Natal, ainda vão a meio mas estamos no bom caminho.

Sábado foi dia de ir até ao Ikea comprar algumas peças para a decoração cá de casa.


Domingo foi dia de ir ver o último filme de Hunger Games com o mano.


quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Ontem foi dia de deixar Coimbra e rumar até ao meu norte.
O avô do namorado está estável só ficou afetado na perna esquerda e já não conseguirá andar sozinho com a sua bengala. Agora só poderá andar acompanhado e distancias curtas, as longas terão de ser feitas de cadeira de rodas.

Estes dias mostraram-me que ser velho aos meus olhos era maravilhoso, tenho especial apreço por velhos. Gosto de partilhar as tardes com os meus avós, ouvir as histórias deles, saber como viviam e como eram felizes no tempo deles. Gosto daquilo que têm para contar, ser velho é sinal de sabedoria sinal de uma vida vivida cheia de experiências.

Mas depois, apercebo-me que aos olhos de outras pessoas estes são sinal de desleixo, são sinal de abandono e negligencia. Não fossem os amigos do pai do namorado e o avô ainda hoje estava por casa com uma dor de estômago.
É triste que ser velho não seja uma coisa boa aos olhos de todos, que não seja sinal de afeto, cuidado e preocupação.

O avô aguarda resultados dos exames que efetuou e logo, logo voltará ao quentinho do lar.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Quina feira 12

A vida é ótima a mostrar como de um minuto para o outro tudo pode mudar. De um momento para o outro estamos bem e podemos ficar mal.
O avô do namorado tem 85 anos, normalmente divide o tempo entre o solzinho bom da varanda, o conforto do sofá e os passeios até ao quarto e casa de banho. Isto sem precisar de ajuda alguma, vê um pouco mal mas lá vai no seu vagar.
Quinta feira queixou-se que não se conseguia levantar do sofá e tinha o braço esquerdo dormente. Ficamos alarmados e decidimos chamar o inem, nesta idade já sabemos que tudo pode acontecer.

Entre braço dormente, não conseguir estar em pé, não conseguir caminhar porque perdeu a força na perna esquerda e vomitar os médicos acharam o mais importante, o vomitar. Deram-lhe uns comprimidos para o estômago e está andar para cas.

Nós ficamos incrédulos, uma pessoa com 85 anos, com "sintomas" que indicavam mais um avc do que uma crise de estômago, nem exames fazem e mandam o doente para casa sem conseguir andar e a queixar-se do braço e cabeça.
Sexta feira já fartos e chateados com a incompetência da médica, do dia anterior, voltamos a ligar para o inem e o pai do namorado fez umas chamadas (quem tem conectes tem tudo, infelizmente/felizmente) e aí sim, foram feitos exames e foi tratado como deveria ter sido tratado na noite anterior e como todos os doentes deveriam ser tratados.

Tinha para mim que o HUC era um bom hospital, que tratavam bem os doentes, mas infelizmente é a terceira vez que algo do gênero acontece. A primeira vez foi com a avó do namorado, tinha tido 3 avc's e  mandaram-na para casa.Quando lá voltou foi demasiado tarde e com um desfecho lamentável. A segunda foi comigo e agora a terceira.
Bem sei que são apenas três casos em muitos, que nem todos os médicos são iguais, mas custa bastante vermos aqueles que gostamos serem tão mal tratados. Não terem um pingo de consciência e serem negligentes. A médica não se escapou de uma queixa e espero mesmo que não volte acontecer com mais ninguém pois o desfecho pode ser o pior para alguém.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Sexta feira 13

Tenho o gato mais lindo do Mundo. É preto e é um charme, desfila beleza. 

A sexta começou mal, alias a quinta 12 é que acabou mal. Só espero que melhore pois ser 13, 14 ou 15 para mim é a mesma coisa.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Por Coimbra

De volta aquela que é a minha cidade do coração. Cheguei terça e relembrei o que era andar de Comboio. Fez-me lembrar os tempos em que era estudante e em que a minha única preocupação era mesmo estudar e ter bons resultados.
Por breves momentos pensei que ainda estava nesse tempo, depois acordei e caí na realidade.
Bem vinda de novo ao Mundo real Dona Maria.

quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Eles são todos iguais, eles são todos iguais, não acredito em nenhum.


Nestas eleições, especialmente nestas, votei para garantir acentos parlamentares. Afinal de contas o parlamento é feito disso mesmo, de deputados por um ou outro partido que lutam pelas suas políticas.
Não votei Costa, jamais votaria nele, não gosto de alpinistas, de pessoas que fazem de tudo para chegar ao poder, passam por tudo e todos sem olhar aos meios. 
(Não posso dizer isto muito alto que ainda dá uma coisa má ao meu sogro, amiguinho do Costa).
Mas votei à esquerda, votei naquelas que eu acho que são as políticas mais próximas do povo, que me dariam mais garantias. Se existem milagres? Não acredito, duvido mesmo. Mas estou cá para ver, afinal de contas já dei o corpo às balas, se der mais um bocadinho eu aguento. Afinal o povo é que aguenta sempre.
Já agora, deixem a esquerda mas tirem de lá o carniceiro, ou antes o Costa!



Ps. Chiquita amiga, nunca uma música fez tanto sentido. :)

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Encher chouriços...

No inicio do mês de Outubro fui chamada ao centro de emprego para ingressar num ação de formação. Lá fui eu feliz e contente, pois não sendo na minha área de formação era algo que gostava muito de saber e aprender.
No tal dia foi nos dito que a formação seria para começar já na próxima semana, mas devido a burocracias com o espaço iria iniciar no inicio de Novembro. Iríamos voltar a receber uma carta, no final do mês de Outubro com a data.

Então é assim, Outubro já lá vai, Novembro já começou e carta nem vê-la. Sendo assim, liguei para o centro de emprego a saber se havia data prevista de inicio. Pois que a resposta foi que não, que ainda não tinha começado nem sabiam quando iria começar, mas que avisavam.

Fui eu gastar combustível em deslocação, para ser uma perda de tempo. Para ficar eludida, na esperança de ir aprender algo que gostava quando na realidade foi apenas para nos manter na esperança e ocupados.

Ainda dizem, se não comparecerem deixam de ficar inscritos. Sério? Ás vezes mais valia, visto que é apenas e só número que eu lá estou a fazer.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Do fim de semana

 Sábado jantar em família com sobremesa rápida e especial.
 Domingo passeio em família pelo passadiço em Esposende.
 O homem insiste em mexer onde não deve, depois tentam remediar o mal que fazem.
Finalmente começou a contagem para o Natal, cá por casa já se ouvem as criancinhas (eu e o meu irmão) a pedir a árvore de natal.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Esta coisa chamada de TPM

Consigo ter os melhores pais do Mundo, acho que os escolhi bem. No entanto, como todos temos defeitos os meus também os têm.
A minha mãe é uma mãe galinha, o meu pai é um pai galo, se é que isso existe. No tempo de universidade, decidi que queria fazer erasmus, era algo possível, suportável e seria uma experiência importante para mim. Tudo bem até ao dia que o meu pai me implorou para que não fosse, já tinha viagem paga e tudo tratado. Escusado será dizer que fui não é?! Todas as semanas, por vezes dias, me perguntava quando voltava, se não podia vir mais cedo e blá blá blá. Quando cheguei de surpresa a casa, uma semana mais cedo que a data prevista, o homem ia morrendo, aquele que nunca desarma, que é rijo que nem uma pedra mais parecia uma alface.

Agora vive-se o drama de eu sair de casa. Vivo a 150km do namorado, neste momento já não o vejo há 3 semanas e sejamos sinceros ninguém aguenta estar tanto tempo longe da sua cara metade.
Estou à procura de trabalho e tento sempre procurar o mais perto possível do namorado. Porque queremos ir viver juntos, porque estamos fartos de estar longe um do outro, porque ninguém namora de mês a mês durante alguns dias, mesmo que todos os dias falem horas sem fio e porque está na altura. Porque namoramos há 5 anos e meio e porque queremos muito.

Uma pessoa explica isto tudo, uma pessoa diz mais umas quinhentas coisas e no fim ainda acham que eu devia era arranjar trabalho cá por cima. Porque poupava mais, porque assim ia amealhando e depois podia casar, porque isto, porque aquilo.
Ontem enquanto dizia que talvez fosse até Coimbra este fim de semana a minha mãe diz-me, "Não vás". Claro que num outro dia esta resposta não teria tanto impacto em mim, mas afinal de contas estou com a TPM e tudo tem outro efeito. Mulher sofre!

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Que tanto crochet andas a fazer?

Pois bem ando a fazer uma manta, não sei muito bem quando acabará mas já vai dando o ar da sua graça.

Cada dia vai crescendo mais um pouco.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

O meu dia em casa...

Acordo por volta das 9h;
Tomo o pequeno almoço;
Vou até ao computador, email, sites de emprego, muitos e muitos envio currículos espero e desespero por respostas;
Vejo o Say yes to the dress e o Goucha e a Cristina, à que rir com as palhaçadas de alguém;
Aspiro a casa, limpo as casas de banho e trato do meu gato mais lindo;
Trato da roupa, estender, passar, apanhar;
Almoço, arrumo a cozinha;
Vou até aos meu avós onde temos o nosso ateliê (um dia falo dele) e onde lhes faço companhia;
Ajudo a minha prima com os trabalhos de casa e a estudar;
Dedico-me ao crochet;
Ajudo a fazer o jantar, arrumo a cozinha em conjunto com a minha mãe e irmão;
Junto-me à minha mãe e fazemos serão (curtinho) no crochet enquanto vemos novelas, momento de velhas com direito a gato na lã e tudo;
Assim chega a hora do banhinho, lavar dentinhos, xixi e caminha.

Os dias podem ser bastantes deprimentes, mas não há dúvidas que pelo meio tenho imensas tarefas/atividades e a casa está sempre um brinco. 


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Das últimas noticias.

As noticias dão conta que uma das gémeas da Júlia Pinheiro está internada por sofrer de anorexia. 
No meu 12º ano duas colegas da minha turma decidiram que iriam começar alimentar-se só e apenas de pastilhas (chicletes aqui pó norte), chupa-chupas e maçãs.
Uma delas já tinha sofrido da doenças e os pais começaram logo a notar algo de estranho, novamente, na filha.
A outra sofria um drama familiar, o pai tinha tido um AVC estava internado e a mãe dividia-se entre o trabalho e o hospital não tendo assim tanto tempo para acompanhar a filha. A filha foi continuando com as maçãs e pouco mais. Lembro-me de olhar para ela e pensar que  estava a ver um esqueleto, chegou ao limite.
Foi internada, não podia ter uma constipação pois corria o risco de morrer. Passaram-se meses e meses e finalmente conseguiu recuperar. Finalmente deixou de estar entre a vida e a morte, finalmente começou a suportar a comida e assim foi recuperando, dia após dia. O trabalho é árduo, todos os dias são de luta, uma luta que vai de dentro para fora.

Ela, como tantas jovens e tantos jovens, viu a vida por um fio, viu a vida a fugir, por um problema que começa na cabeça e acaba no corpo.