segunda-feira, 28 de março de 2016

Cada vez tenho menos esperança nas pessoas.
Há uma semana atrás fui buscar um cliente, pelo caminho trocamos algumas palavras em que o tema era mesmo a falta de esperança que se tem nos outros.

Dizia-lhe que achava triste eu não ter esperança nas pessoas, pensar sempre o pior e não acreditar e esperar sempre o pior. Com o seu sotaque brasileiro dizia-me ele que tinha um cunhado igual (por acaso o cunhado também é nosso cliente). Que há uns anos atrás dizia, "espero sempre o melhor das pessoas, até que me provem o contrário", agora com o passar dos anos a frase mudou e é "espero sempre o pior das pessoas, até que me provem o contrário".

A segunda frase é basicamente o que eu digo. Sábado foi um dia difícil, esperamos sempre o pior mas da nossa família, da nossa família esperamos o melhor. Mas há um dias, antes não houvesse, em que eles nos mostram o seu pior e aí, aí a desilusão é pior.

Há dias em que me apetece desaparecer, não desaparecer, mas ir sem destino, no gênero do "into the wild" ou num mais calmo, "Comer, orar e amar".
Sem dúvida alguma que o som que me acompanharia seria o  Eddie Vedder.

Um comentário: