segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Do trabalho

Trabalhar com homens pode ser engraçado. Tendo em conta que um deles é o meu pai, podem imaginar que é com muito respeitinho que sou tratada.

Assim do que me apercebi até agora, uma semana apenas, comem mais fruta do que eu imaginava e bebem iogurtes. Não devia estranhar assim tanto os iogurtes, uma vez que o meu pai é um dos que bebe também.

Depois há um dia da semana, que rodando entre eles, compram o lanche para todos. A semana passada foi croissants e natas. Param o trabalho e convivem um pouco.
O ambiente é de amigos, já o sabia do meu pai partilhar em casa, mas vivendo a  situação posso comprovar isso mesmo.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Diário DO casamento #1

Finalmente habemus casamento, ou finalmente habemus rubrica ou ainda, finalmente habemus tudo preparado. Calma, que falta muito mais de um ano para o casório e há muita coisa a fazer.

Talvez não falte assim tanto tempo e sou bem capaz de começar a panicar não tarda nada. Ai e tal falta tanto tempo, ai e tal é tudo muito fácil basta seguires uma lista de fazeres, vê lá não te tornes uma bridezilla! Pois bem, tenho a dizer-vos que sou bem capaz de estar a criar uma bridezilla dentro de mim. Sinto-a a crescer cada vez que me dizem que a data que escolhemos já está preenchida, em pré-reserva ou mesmo confirmada.
 Não é uma data com algum significado adjacente, é apenas uma data com um número ímpar que para mim faz sentido, que já se tornou minha e não estão bem a ver o problema que se pode vir a tornar se tiver que a abandonar. Ela já chama por mim, ela já me diz que será perfeita e para não a abandonar.  Enfim, estão bem a ver não é?

Então, assim de momento temos:
-Decidido que casamos pelo norte, mais precisamente na minha terrinha.

-Possível data que pode ser alterada caso encontremos o local indicado para alimentar a boca dos convivas. Bem sabemos que é o mais difícil de arranjar mas caramba falta mais de um ano e quando vejo que há noivas que casam em 2017 e já têm quinta desde 2015 fico a pensar o quanto anormal eu sou.
Quando soube que efetivamente ia casar, nos "entretantos" tive ataques de bipolaridade, sim, por vezes tendo a ser um pouco bipolar, mas neste caso podem ser apenas as hormonas de noiva a falarem por si, isso existe certo? Hormonas de noiva existem tal como a das grávidas? Digam que sim, please! Então, quando soube que efetivamente ia casar foi das primeiras coisas que começamos a ver. Já não tenho um casamento na minha família há mais de 10 anos, amigas minhas ainda não casaram, então não estou assim muito dentro do assunto da oferta que existe por cá. Vai daí juntei-me a tudo o que era grupos de noivas no facebook, pode ser bastante útil tenho-vos a dizer, aderi também a alguns sites de noivas e fui fazendo uma seleção daquelas que mais me aqueciam o coração. O namorado fez o mesmo e chegamos a algumas conclusões. Este fim de semana fizemos as primeiras visitas. (falo sobre isto num outro post)

-Tema do casamento escolhido pelo noivo (soa bem dizer noivo, é chic para xuxu, ui, ui), que não podia ser outro, pois é um tema que nos define aos dois, que nos uniu e que nos representa.

-Possível decisão quanto à boda civil ou religiosa e qual o local para a mesma se realizar.

-Qual o carro em que vou, sim podia muito bem ser das últimas coisas a ser tratadas mas é um carro com uma grande carga sentimental e que tem de ser tratado com tempo. Façam figas, façam figas.

-Fotógrafo ainda está em águas de bacalhau, tenho um fotógrafo na família, conheço o trabalho mas a questão é que é um primo meu, do qual gosto bastante e não o queria perder como convidado. Então está assim em águas de bacalhau.

-Temos uma pré lista de convidados e contamos, para já, tende a aumentar e a diminuir também, com uns 170 convivas, coisa pouca portanto.
Quem manda ter escolhido um noivo que só ele tem quase 100 convidados? Se ainda não têm noivo, aviso, antes de avançarem para o casório perguntem qual a lista de convidados dele. É que isto podia ser muito normal, fosse o caso de ter uma família grande, mas não, desenganem-se, apenas tem uma tia o resto são mesmo amigos, alguns como família que não fazia sentido não serem convidados.

- Lua de mel com algumas hipóteses, talvez sejam muitas, mas são todas locais que ambos queremos muito visitar. Posso avançar para esta fase já?

-Sabemos que queremos ter um apontamento no casamento do qual eu não quero abdicar, das quintas que visitamos apenas uma nos permite fazê-lo. Alguém vai perder clientes, eu estou avisando, alguém vai perder clientes, isso ou viro uma fora da lei. Cuidado, tenho uma bridezilla a crescer dentro de mim a cada segundo que passa.

Penso que para já é por aqui que estamos, há muito a fazer, muito a planear e por vezes penso que é quase impossível. Uma pessoa passa anos da sua vida a dizer que não quer casar, passa anos da sua vida a dizer que não, porque não e blá blá.
Depois, depois encontra um príncipe, que não tem um cavalo branco mas tem um carro e muda de ideias, decide que afinal quer casar. Decide que quer uma banda de baile e um porco no espeto e uma festa ao ar livre, decide que quer um vestido da Rosa Clará ou Pronovias , decide que quer uma festa vintage, decide que quer um casamento lindo, como o amor que os une e depois percebe quem nem sempre o que idealizamos pode ser tal e qual e aí começa o problema. Mas isso deixo para depois.



quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Primeiro dia de trabalho!

Hoje foi o meu primeiro dia de trabalho, ainda numa fase muito experimental e a ver no que vai dar. Posso vos dizer que sou a única menina no meio de machos, mas machos de verdade daqueles de mãos com calos e cheias de óleo. Vamos lá ver o que sairá daqui.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A semana passada fui levar o meu avô ao centro de saúde, eu precisava de tratar de umas coisas estacionei e a minha avó ficou a minha espera.
Quando estou a  chegar ao carro percebo que ela está cá fora à minha espera, pensamento "Pronto, bateram-me no carro". Continuo calmamente aproximo-me e sim, confirmava-se tinham-me batido no carro.

Tinha sido uma senhora já com alguma idade, para cima de 60 e estava bastante nervosa, só me dizia "desculpe senhora, eu não vi bem". Tinha-me partido um farolim e arranhado o para-choques disse-lhe para não ficar nervosa, que não fazia mal, pode acontecer a qualquer um.
"Mas eu pago, não se preocupe, eu pago!" Disse-lhe que sim, que via com o meu pai e depois lhe ligava a dizer o valor. Assentiu que sim, deu-me o contacto e lá fomos à nossa vida.


A minha avó que tinha estado a falar com a  senhora, disse-me que ela tinha ido com o marido ao médico, "ele não consegue conduzir, vê mal e anda manquinho", então era ela que tinha de conduzir, mas não gostava nada. MAs era a única forma que tinham de poder ir ao medico.

Ontem, foi o dia que fui ter com a Senhora. Liguei antes, a avisar e atendeu-me o marido, "Sim, sim venha. Eu vou descer já, a minha esposa não pode ir, está com falta dar, mas eu vou já menina".
Desliguei o telemóvel e fiquei com o coração apertado, sou uma coração mole e há situações que me partem o coração.


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Dias difíceis

Têm sido dias muito difíceis.

A minha mãe sabia que queria casar para o ano, sabia que era algo que queria muito. Quando fui pedida em casamento fiquei feliz, muito feliz mas de seguida percebi que era uma felicidade cheia de tristeza, cheia de angustia por trás.
A minha mãe seria a primeira pessoa a quem iria contar que estava noiva, nunca fiz nada sem contar à minha mãe, éramos muito próximas e costumo mesmo dizer que não dava um peido sem que não lhe conta-se. (desculpem a linguagem)
Nos meus quatro anos em Coimbra, na ida de Erasmus para Itália, num ano de trabalho em Viseu não houve um único dia que não falássemos, que não lhe ligasse e estivéssemos minutos a fio, por vezes horas, que ligássemos à hora de almoço e depois novamente à noite, que partilhássemos os maus e os bons momentos.
Assim, nos últimos dias tem sido bastante difícil para mim pensar que vou casar e não a tenho fisicamente, pensar que não terei ao meu lado a confidente com quem contava para partilhar cada pormenor.
Não sei se estou preparada para esta fase.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Ainda do fim de semana

Como tinha dito o fim de semana foi repleto de surpresas. A maior de todas foi o pedido de casamento, SIM!!!! estou noiva e SIM!!!! também disse SIM!!! CLARO QUE SIM!!!!

Já tínhamos falado sobre o assunto, já tínhamos pensado em casar no próximo ano e diz o namorado que andava desde Dezembro a pensar como me haveria de pedir. De repente, tudo mudou e ele ficou um pouco receoso do "Aceitas casar comigo?".
Fiquei feliz, não é todos os dias que o HOMEM da nossa vida nos pede para ser dele o resto da sua vida, nos pede para o ver velhinho, mesmo com as peles a cair e abraçadinhos para a eternidade.
Sim, sou uma romântica e acredito no amor para sempre. Cresci rodeada de amor, o amor dos meus pais, sincero, lindo e brincalhão, com o amor dos meus avós, sem preconceitos e explosivo e recentemente assisti ao amor dos avós do namorado, um amor enorme, cúmplice e apaixonante.

Quero um amor assim para mim, um amor até ao fim, cúmplice e aconchegante.
  
Não tinha como dizer não ao nosso amor, não tinha como negar um pedido que sei que é sincero e puro, não tinha como dizer não à felicidade. Assim, de repente passei de namorada a noiva e um dia serei a esposa.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Do fim de semana

Foi fantástico, relaxante, não sei como é que em 26 anos ainda não me tinha dado ao luxo de uma massagem às cruzes e foi cheio de amor.

Fomos até Penela, uma vila que nos diz muito, a terra onde o namorado passou a infância com os seus avós e a terra que queremos que seja nossa.
Desde Dezembro que sabia que o fim de semana seria passado no Hotel HD Dvecitania. Aconselho, acolhedor, funcionários muito simpáticos e o ambiente é fantástico. Pena mesmo foi o tempo, no nosso caso que conhecemos a zona não ficamos muito tristes, fomos mesmo para relaxar e aproveitar o momento a dois (infelizmente não são assim tantos) e digamos que para o efeito o tempo estava à medida.

Assim, o dia foi passado a pastelar, piscina, sauna (maravilhosa), massagem, amor, mais amor e muitas surpresas. Ficará para sempre na nossa memória e na nossa história.










segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Do fim de semana

Há muito a dizer, há muito a contar mas primeiro vou "absorver" a informação e depois partilho.


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Vou só ali descansar um pouco, massajar as cruzes, aproveitar o jacuzzi e amar muito o homem da minha vida.
Volto em breve, isso ou fico fã e viro dondoca.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Essa coisa chamada de burocracias


Quando a minha mãe ficou doente foi nos dito que as coisas não andavam mais rápido por causa de burocracias, que por vezes era preciso preencher muita papelada, obter autorizações e isso fazia atrasar o processo.
Achei tudo muito estranho, falávamos da vida de uma pessoa e no meu entender não era assim que as coisas deveriam funcionar. 
Corri a vários sítios, um dos quais o IPO, falei com várias pessoas, pedi, supliquei mas nunca ninguém teve a vontade de ajudar verdadeiramente. A verdade é que o tempo era precioso foi passando e o desfecho foi o mais triste de todos.
Agora que precisamos de uns papeis, por questões de seguros, voltamos novamente às burocracias, voltamos aos papeis e voltamos às autorizações.
Com tudo isto fico sem perceber o porquê de tanta papelada, o porquê de andarem com as coisas de um lado para o outro e não resolverem logo as coisas. Andam num jogo de empurra, atrasam as coisas e porquê? Porquê?

domingo, 7 de fevereiro de 2016

DIY - São Valentim

Desde pequena que lembro de gostar de fazer trabalhos manuais. Lembro-me de ir à costureira com a  minha mãe e trazer sobras de tecidos para fazer as roupas das bonecas. Por vezes tornava-me bastante chata até.
No carnaval queria ser eu a fazer as roupas, uma vez fui de palhaço, com umas calças com um arame em cima e uns mega suspensórios. Claro está que por vezes sobrava para a minha mãe que me dizia sempre, "Estás sempre a inventar!". É bem verdade, estou sempre a inventar, tenho sempre mil e uma ideias, mas por vezes falta-me o material e acabo por desistir, outras vezes vou a correr comprar e meto mãos à obra.

Ontem fui até à primark e quando avistei uns luzes tipo os piscas de natal, achei que podíamos ser felizes juntas.


Os tecidos já moravam cá em casa, iam ser para umas almofadas,já cá estão há quase um ano e almofadas nem vê-las.

E o resultado final um quadro com coração e luzes à volta. É relativamente fácil de fazer e acho o resultado final bem fofinho.
Podem fazer com letras, com outros tecidos, podem fazer da forma que gostarem mais.


(Custo máx. 4€)


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Há um dia em que acordamos às quatro da matina aos gritos porque entramos em pânico quando o nosso irmão nos toca porque teve um pesadelo. Hoje foi o dia!
Juro que foi muito estranho, lembro-me de sentir algo muito estranho começar a gritar, muito e muito alto e ver o meu pai a chegar a perguntar o que se passa.
Vou começar a tomar o xanax da minha avó, só que não.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

DIY- Dia de São Valentim

Ao longo da vida não me posso queixar de ter ao meu lado os melhores. Sou uma sortuda por ter tido os melhores pais do Mundo, o melhor irmão, os melhores avós, os melhores tios e agora O MELHOR NAMORADO. (Também tenho os melhores amigos, mas esses fui escolhendo ao longo da vida.)

Sendo assim, e porque realmente tenho o melhor namorado do mundo, podia enumerar as qualidades mas ainda me roubavam o namorado, vou apenas dizer que é o melhor. 
Sei, desde o dia do meu aniversário (foi um dos meus presentes), que o fim de semana do dia dos namorados será passado num hotel, com direito a massagem a dois, jantar romântico, decoração no quarto e muito amor. Duvidavam que tinha o melhor namorado do mundo? Pois, também me pareceu. 

Então decidi fazer-lhe uns miminhos, ambos gostamos de partilhar presentes elaborados por nós.  Sendo assim, vou partilhando com vocês algumas das minhas ideias. 






(Podem ir a um carpinteiro e comprar uma tábua com a medida certa, evitam ter de colar várias tábuas do mesmo tamanho e fica mais bonito. Eu quis economizar e fazer com aquilo que tinha por casa. )

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Uma semana

Da minha mãe herdei a boa disposição, o sorriso, a palavra certa e nunca desistir. A vontade de fazer sempre mais e melhor e a palavra sempre, mas sempre encorajadora.
Força era o seu nome do meio, doce a sua maior qualidade.

Podia enumerar as imensas qualidades dela, eram muitas e posso garantir que poucos eram os defeitos, a teimosia era o principal.
Percebi, numa semana, que a dor é imensurável, que a falta dela é constante e o vazio enorme. Mas também percebi que ter-te tido como MÃE foi a maior das sortes que tive, foi um privilégio, foste MÃE o tempo todo.

Guardo as melhores das recordações, prometo honrar-te e fazer de mim aquilo que tu desejarias que eu fosse. Sei que estarás sempre presente, agora de uma forma diferente, mas ser MÃE é ser para sempre.

Obrigada por teres feito parte da minha vida, obrigada por me ensinares a ser tão forte e obrigada por me teres amado tanto e assim fazeres com que eu te amasse ainda mais.



(O blog voltará ao seu "normal".)