quarta-feira, 18 de maio de 2016

Dúvida existencial

Estes dias reparei num dos entregadores de peças que nos fornecem a oficina. Já tinha vindo à oficina, mas esta semana o colega que nos visita diariamente está de férias então o trabalho é feito por este outro.

É um homem mais baixo que a média, muito mais baixo, depois tem um aspecto bastante próprio. Atentei mais no cabelo, na segunda-feira, e há semanas que tinha falado com o meu irmão sobre aquilo que vi.

Não sei se estão a ver bem a imagem, mas agora imaginem aqueles fios de cabelo da direita para a esquerda completamente compridos a tapar toda a calvice.
Não sei se já viram algum homem assim, se não viram desde já vos digo que por aqui há bastantes.

Então a minha dúvida é a seguinte:
1 - Um dia acordamos e pensamos, vou começar a deixar crescer um lado do cabelo para tapar toda a careca. 
2 - Vamos cortar o cabelo, ao cabeleireiro/barbeiro do costume e ele sugere que comecemos a deixar crescer um lado do cabelo para tapas toda a careca.
3 - A nossa mais que tudo, farta de nos ver carecas, afinal não é dos carecas que elas gostam mais, sugerem que deixemos crescer o lado esquerdo do cabelo para tapar toda a careca.
4 - Nenhuma das anteriores.

Juro que é algo que tenho curiosidade, perguntei a alguns homens da oficina, acho que me acharam parvinha mas lá me deram as suas respostas.
 Ajudem-me nisto, preciso de dormir de noite!

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Só porque sim e porque posso...Globos de Ouro

Quem me conhece, pessoalmente, sabe que eu e a Moda somos tão amigas, tão amigas que nem dou por ela. Não ligo a modas, no meu armário não há saias plissadas, não tenho nenhuma gabardina e e até as Sam smith me passaram ao lado.

Mas de repente há os globos, uma pessoa está a ler o seu livrinho, para desanuviar liga a TV e dá de fronhas com a Bábá e para logo para ouvir o seu discurso tão eloquente. Ainda bem que o Franco Bastos conseguiu remediar aquilo que para mim foi um fracasso. (adormeci antes de acabar)

Vai daí, hoje deu-me a curiosidade e toca a ir ver as indumentárias das babes, os babes é sempre a mesma coisa mas minhas amigas, digo-vos já que houveram surpresas.
Então só porque me apetece dar uma de fashion blog cá vai as vestimentas que mais me alegraram as vistas. (Os feios também me alegram as vistas, sinceramente é tudo trapos.)


Estou grávida, ensandeci e posso tudo

 Adivinhe você mesmo o que está à espreita...
 Tem estado chuva, e percebemos que que podia chover e estes chanatos iam dar muito jeito. 
A rachinha da praxe, o vestido estava-me justo e foi a única hipótese de conseguir dar uns passinhos neste saco. 

Ritinha Pereira dedo de fora rules...

 Tanta tira e nenhuma arrepanhou o meu dedo mais pequenino.
 Pronto ok, não precisam de falar da minha roupitxa, olhem só para todo o pé a tentar fugir da sandália.

Sou uma cara bonita o resto não importa nada


Mãe acabou-me a sopa, mas trouxe uma frutinha aqui de baixo. 

Jéssica Rabbit é você??

 Falta o cabelo vermelho eu sei...


DIY, faça você mesmo!

 Tenho o homem mais gato!


Se alguma fivela do sapato se solta tenha medo, fujam!
 Tudo tão mau que falemos apetas dos sapatos.

Fomos contratados para o Cardinalli, entretanto o Benfica foi campeão e decidimos vir aos Globos. Não perceberam? Eu também não!


Estive em Padaung, mas entretanto decidi esconder o facto!
 


Nada apontar! Os preferidos.






 
 

domingo, 8 de maio de 2016

Percebes que a tua vida é bem mais interessante à semana, quando passas o domingo de pijama, entre dormir no sofá ou jogar LOL (League of Legends) para o tempo passar mais rápido. Isto porque a tentativa de ver um filme saiu furada, quando adormeci ao minutos dois.

Tudo isto, depois de estender roupa, apanhar roupa, passar a ferro e colocar as roupas nos devidos lugares. Vida procura-se...

segunda-feira, 2 de maio de 2016

"Natasha"

Já andava há meses para cortar o cabelo, fui adiando, adiando mas quarta foi o dia.
Liguei a marcar, normalmente corto o cabelo com a "Marisa", como sabia que iria ser mãe e não sabia se já tinha voltado aceitei a sugestão da menina em cortar o cabelo com a Natasha sem sequer saber se a Marisa já tinha voltado.

Cheguei, bem recebida, lavar o cabelo com direito a massagem, de sonho e por fim esperar que a Natasha me viesse cortar o cabelo.

De repente vejo dois metros de mulher a vir ter comigo, ar de Russa (daí o Natasha) e cabelo curto. Normalmente tenho medo de cabeleireiras com cabelo curto, acho sempre que são umas invejosas e vão colocar o nosso o mais pequeno que conseguirem.

Disse que não queria cortar muito que era para deixar crescer. A mulher era surda, só pode, desde que começou a cortar nunca mais parou e eu, eu vi 15cm do meu cabelo no chão. Se fiquei chateada? Não, sinceramente gosto de mudanças e até achei engraçado na altura. O problema é agora, sempre que acordo apanho um susto e às vezes adoro muito, outras detesto muito.

Conclusão, nunca mais cortar o cabelo com a Natasha e cabeleireiras de cabelo curto também não são aconselháveis.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

De volta...

Obrigada pelas mensagens e pela preocupação. Precisei de estar na minha bolha, precisei de tempo e ainda preciso.
Nos últimos tempos algumas coisas mudaram.
- Afastei-me dos meus avós maternos e de um tio. Já consigo me relacionar com  os meus avós, voltou tudo ao normal, com o meu tio não voltará tão cedo;

- O meu luto está numa fase diferente, numa fase mais calma mas com picos bastante difíceis;

- Tive consulta com a minha médica de família, três consultas na verdade, está tudo bem com a minha saúde, a primeira consulta foi difícil (para ajudar ela sentiu-se mal e fui atendida por outra médica, mas as seguintes fizeram-me bem. Tenho a melhor médica de família que podia ter;

- Entrei nas urgências de um hospital pela primeira vez depois da morte da minha mãe (também numas urgências)  e paniquei, paniquei muito e só não paniquei mais porque não queria ser vista por nenhum médico. Já avisei, não me convidem para acompanhante;

- Perdi 15cm de cabelo, está o mais curto que alguma vez tive, por cima dos ombros. Foi a loucura! Aviso, nunca deixar que a "Natasha" vos corte o cabelo, fujam; (partilho a história mais tarde)

- Já não vou casar, pronto já não haverá mais rubrica, mas farei uma última a explicar a situação;

- A minha melhor amiga está noiva, não em livro assim tão fácil do tema casamento.

- Comecei a correr, engordei 6kg nos últimos 3 meses, mas para ajudar a tarefa já difícil que é correr, fiquei com imensas dores nas canelas, repouso, gelo e uns exercícios de fortalecimento das ditas para voltar aos treinos.

Assim de repente parece-me um bom resumo dos últimos dias. Estou de volta.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

De momento apetece-me estar sossegadita no meu cantinho, posição fetal e ficar assim para sempre. Para sempre é como quem diz o maior tempo possível.

Todos os dias são difíceis, hoje foi um dia um bocadinho mais difícil e só hoje percebi que isto da posição fetal é mesmo algo que me apetece fazer quando estou em "apuros". (algo que possivelmente os psicólogos poderiam explicar)
Hoje foi realmente um dia difícil. 

terça-feira, 29 de março de 2016

Máquinas de fazer bebés substituirão sexo em 30 anos

"Será através destas máquinas que os progenitores terão a possibilidade de personalizar o bebé ao seu gosto, tendo logo numa fase inicial a possibilidade de saberem se será atraente, inteligente ou saudável, estando portanto habilitados a prevenir qualquer situação possível, diz o Mirror."

O ser humano passará a ser personalizável, acho que sim, já me estou a ver a opinar na "confecção" do meu neto.

segunda-feira, 28 de março de 2016

Cada vez tenho menos esperança nas pessoas.
Há uma semana atrás fui buscar um cliente, pelo caminho trocamos algumas palavras em que o tema era mesmo a falta de esperança que se tem nos outros.

Dizia-lhe que achava triste eu não ter esperança nas pessoas, pensar sempre o pior e não acreditar e esperar sempre o pior. Com o seu sotaque brasileiro dizia-me ele que tinha um cunhado igual (por acaso o cunhado também é nosso cliente). Que há uns anos atrás dizia, "espero sempre o melhor das pessoas, até que me provem o contrário", agora com o passar dos anos a frase mudou e é "espero sempre o pior das pessoas, até que me provem o contrário".

A segunda frase é basicamente o que eu digo. Sábado foi um dia difícil, esperamos sempre o pior mas da nossa família, da nossa família esperamos o melhor. Mas há um dias, antes não houvesse, em que eles nos mostram o seu pior e aí, aí a desilusão é pior.

Há dias em que me apetece desaparecer, não desaparecer, mas ir sem destino, no gênero do "into the wild" ou num mais calmo, "Comer, orar e amar".
Sem dúvida alguma que o som que me acompanharia seria o  Eddie Vedder.

quinta-feira, 24 de março de 2016

Amanhã é feriado e aqui a Je vai trabalhar e cheira-me, cheira-me só, que vai ser um dia do caraças.

quarta-feira, 23 de março de 2016


Não é que me faça assim muita diferença, tenho não sei quantos canais alguns dos quais só passam filmes, mas caramba por vezes sabe bem voltar à adolescência e apenas deitar no sofá ligar a TV e ficar a pastelar.
Lembro-me dos domingos na ronha, no conforto da sala a ver aquilo que passava na TV, a única escolha era entre os quatro canais, antes das modernices.
Quando tinha de estudar era um desatino, porque gostava mesmo de aproveitar os domingos a ver os filmes que passavam na TV.  Não me peçam para explicar a sensação, os sentimentos, mas era algo que gostava mesmo. Era bom não ter de fazer escolhas, apenas deixar-me estar e ver o que alguém se tinha lembrado que iria passar no domingo à tarde.

Bem sei que agora há muitos canais à escolha, que há variadíssimas formas de ver filmes, que todos nós temos ao acesso de um clic o último filme que saiu no cinema mas gosto desta despreocupação, de me deitar no sofá e apenas ver. 
É o voltar à minha adolescência e das tardes de domingo chuvosas e deliciosas.

terça-feira, 22 de março de 2016

Do trabalho

Continuo a ser muito bem tratada, basicamente sou a menina do sítio.
Ando de um lado para o outro, ora é preciso uma peça, ora é preciso ir a uma sucata, levar um cliente ou buscar. Há dias em que não paro um segundo, tal como hoje.

O engraçado é quando sou eu que tenho de  ir às sucatas buscar material. Há locais que noto claramente que não é normal serem as mulheres a tratarem deste tipo de coisas, que estão habituados aos homens mas no final sou igualmente bem tratada.
A semana passada fiquei bastante admirada quando fui a uma sucata, especializada em peças de Mercedes, e vejo que quem me atende é uma mulher.
Até agora só tinha lidado com homens, mas já percebi que este também é um mundo de mulheres.

As mulheres são incríveis
adaptam-se a qualquer situação.

quinta-feira, 17 de março de 2016

Imagens que me inspiram...



Desde o último post nada pouco há acrescentar.
- Ainda não encontramos o lugar de sonho e já fomos avisados que por esta altura já está tudo mais que marcado;
-Nunca imaginei que os senhores das quintas demorassem semanas a responder e que atender o telefone era uma miragem;
-Já tive ataques de bipolaridade, de histeria e de choro pelo caminho;
-Já estivemos num local que estava muito próximo do que pretendíamos mas para além de ter a agenda cheia, só restavam sextas e domingos, o salão tinha um senão;
-O namorado morreu de amores por um espaço, mas eu esquisitinha que só ainda não me rendi.

Assim continuamos, por este andar caso em 2018 ou 2019 que é ímpar e gosto mais.



segunda-feira, 14 de março de 2016

Coisas que me irritam...

Por norma tenho um cuidado especial pela natureza, pelo planeta e por tudo o que em rodeia.
Raramente masco pastilhas (chiclas ou chicletes), quando acontece tento sempre deitar a dita num caixote do lixo e de preferência embrulhada num papel. Nunca deito nada vidro do carro fora e o mesmo se aplica quando vou na rua, não deito nada para o chão.

Vai daí, que quando vejo chicos espertos na rua a deitarem papeis para o chão salta-me a tampa. Por norma gosto do "caiu-lhe sem querer", "o lixo é ali à frente".
O caiu-lhe sem querer arrecada olhares incrédulos, vergonha ou até mesmo caras de pau. Há de tudo minha gente. Mas por norma funciona muito bem.
Ainda não arranjei solução para os condutores fumadores, mas vou estudar o mercado e arranjar uma boa solução, espero!

Então lembrei-me e acho que vou criar o movimento "caiu-lhe sem quer", pelas ruas limpas, pelo civismo e pelo bom senso.
Não me parece que em casa deixem o lixo por onde passam, mas sim no caixote do lixo.

quinta-feira, 10 de março de 2016

Primeira amiga grávida...

e é a loucura, é a loucura. É tão a  loucura que me dá vontade de colocar as mãos na máquina de costura e saírem de lá coisas maravilhosas.

Sempre gostei de bébes, sempre quis ser mãe, ser mãe é sem sombra de dúvidas o meu maior sonho, bem maior que ir à muralha da China e conhecer a Ásia.
Vai daí que quando soube que uma das minha amigas desde sempre, a mais antiga penso eu, ia ser mãe fiquei bastante feliz por ela. Talvez por o meu relógio biológico já ter chamado por mim, talvez por querer ter três filhos pelo menos e não me importava nadinha de já ter tido um, talvez por também eu ansiar por viver uma gravidez, fiquei feliz como se fosse eu.

Como sou dada aos trabalhos manuais, às costuras, aos tricots e aos bordados achei por bem oferecer umas prendinhas à minha "sobrinha" feitas por mim.
Já vos falei da mania que tenho em oferecer presentes feitos por mim? Não? Pois muito bem, sempre que posso gosto de oferecer coisas feitas por mim. São feitas com amor e carinho e tornam-se especiais.




quarta-feira, 9 de março de 2016

Diário DO casamento #2

As quintas...


Ainda só visitamos três quintas, uma das quais é a  mais famosa das redondezas. Quisemos que fosse das primeiras pois é daquelas que enche com dois anos de antecedência.
Tinha as expectativas altas, sempre ouvi dizer que eram lindíssimas, o grupo tem quatro quintas, que o serviço era do melhor que há e que ia ficar encantada.

O atendimento foi espetacular, tivemos um reunião bastante esclarecedora, realmente têm um serviço fantástico, o preço é bastante bom para tudo aquilo que oferecem mas depois, depois quando chegamos ao local eu percebo que não é o que pretendo. Achei o espaço exterior pequeno, o interior demasiado moderno, muito retangular e uniforme. Gosto de coisas com vida, com movimento e aquele espaço pareceu-me parado, morto. Não me tocou o coração e fiquei desapontada, porque o serviço era mesmo bom.
Tenho familiares que já foram a um casamento do grupo e dizem que não falta nada, desde comida, bebida, limpeza e são bastantes atenciosos com tudo. Comida e bebida são das coisas que mais prezo, seguido da animação que o que a malta quer é festa.


Sendo assim, sábado e domingo temos uma maratona de quintas, marcamos as que mais podíamos para ver se despachamos esta parte chata. Chata porque eu tenho um estilo de casamento pré definido, tenho uma ideia das coisas, depois torna-se difícil encontrar algo como eu realmente quero. Quem me manda andar há dois anos a pensar no casamento? 

terça-feira, 8 de março de 2016

Um dia...

Adoro viajar, gostava de conhecer o Mundo, adorava conhecer cada recanto, as aldeias mais escondidas e os segredos que só quem é da terra conhece.
Já vivi em Coimbra, tive uma passagem por Itália, Viseu e sou natural de Famalicão, onde passei a maior parte da minha vida até então.
A minha experiência em Itália foi realmente aquilo que eu gostava  que fosse a minha vida. Conhecer um local, trabalhar e saber como realmente é o dia à dia de quem lá vive.

Tenho uma paixão imensa pela Ásia, acho mesmo que devia ter nascido do outro lado do Mundo, como nasci por cá sonho um dia poder conhecer os recantos  do continente que mais me chama.
Como ainda não chegou o dia, espero que esteja para breve, vou vivendo todos os dias o dia à dia de um grande amigo do namorado.

Backpacking the Dream, é nada mais nada menos que uma viagem durante 6 meses pela Ásia. Já passou pela Índia, pela Tailândia, pelo Camboja, Nepal, Mumbai, Malásia, Singapura, Vietnam...
Desta viagem podem esperar locais conhecidos pelos turistas, ida às aldeias mais escondidas através do conhecimento dos locais, histórias de como chega aos locais, meios de transporte e dinheiro gasto e a certeza que só alguém com um espírito muito corajoso poderia entrar nesta viagem.
É uma viagem de vida, de conhecimento e acima de tudo de muito enriquecimento.

Um dia, um dia também eu farei algo assim. Podem ter a certeza!

sábado, 5 de março de 2016

Um amor que cresce a cada dia

Quem me segue no Instagram sabe que a maior parte das minha fotos ou é a minha coisinha fofa, o meu gato lindo, ou as minhas suculentas.
Adoro catos, adoro suculentas e tenho uma boa coleção. Hoje tirei uma parte da tarde para tratar delas, dar-lhes amor, e fazê-las crescer e propagar.
É uma terapia, adoro a natureza, ainda não percebi porque não virei hippie (o meu namorado não alinha muito nessas coisas), mas vivia muito bem em pleno com a natureza, só eu e ela e por vezes eu ela e o Mundo.




Na varanda cá de casa, vivem orquídeas (a paixão da minha mãe), suculentas, muitas suculentas, cactos e jacintos. Tenho um jardim, mesmo ali ao sair do quarto.

terça-feira, 1 de março de 2016

Desta vida...

Numa das vezes que fui às urgências com a minha mãe encontrei os pais de uma ex colega de secundário.  Apenas os devo ter visto umas duas vezes na vida, mas pareciam-me eles. A senhora estava um pranto, chorava, estava devastada, o senhor confortava-a dizia-lhe para não se preocupar e para se acalmar. Dócil e carinhoso.
Percebi, pelas atitudes que algo não estaria bem e que seria com o senhor.

O tempo passou, e ontem vi que o senhor tinha falecido. Não quis crer, reli, li e voltei a reler. Era mesmo verdade.
Vi na senhora, vi na filha, minha ex colega a dor que também eu sinto, a perda enorme e o vazio. Mandei-lhe uma mensagem, não podia não tentar conforta-la fosse de que maneira fosse. Sei que não há muito a fazer ou dizer, que por muito que nos digam não passa mas as dores são iguais, as histórias parecidas.

No dia que os vi, foi o dia em que o pai dela descobriu que tinha cancro.

Por vezes dá-me vontade de espancar a vida, de lhe apertar o pescoço, depois penso e não sei se é à vida que devo fazer isso, na verdade não sei contra quem me revoltar. Só sei que a vida, ou a nossa passagem pela terra pode ser muito injusta, muito cruel, mas depois, depois só depende de nós a tornar mais dócil, mais fácil e mais confortável.
Não sei se é um teste, se simplesmente é um ter de ser, mas eu sou mais forte.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Do trabalho

Trabalhar com homens pode ser engraçado. Tendo em conta que um deles é o meu pai, podem imaginar que é com muito respeitinho que sou tratada.

Assim do que me apercebi até agora, uma semana apenas, comem mais fruta do que eu imaginava e bebem iogurtes. Não devia estranhar assim tanto os iogurtes, uma vez que o meu pai é um dos que bebe também.

Depois há um dia da semana, que rodando entre eles, compram o lanche para todos. A semana passada foi croissants e natas. Param o trabalho e convivem um pouco.
O ambiente é de amigos, já o sabia do meu pai partilhar em casa, mas vivendo a  situação posso comprovar isso mesmo.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Diário DO casamento #1

Finalmente habemus casamento, ou finalmente habemus rubrica ou ainda, finalmente habemus tudo preparado. Calma, que falta muito mais de um ano para o casório e há muita coisa a fazer.

Talvez não falte assim tanto tempo e sou bem capaz de começar a panicar não tarda nada. Ai e tal falta tanto tempo, ai e tal é tudo muito fácil basta seguires uma lista de fazeres, vê lá não te tornes uma bridezilla! Pois bem, tenho a dizer-vos que sou bem capaz de estar a criar uma bridezilla dentro de mim. Sinto-a a crescer cada vez que me dizem que a data que escolhemos já está preenchida, em pré-reserva ou mesmo confirmada.
 Não é uma data com algum significado adjacente, é apenas uma data com um número ímpar que para mim faz sentido, que já se tornou minha e não estão bem a ver o problema que se pode vir a tornar se tiver que a abandonar. Ela já chama por mim, ela já me diz que será perfeita e para não a abandonar.  Enfim, estão bem a ver não é?

Então, assim de momento temos:
-Decidido que casamos pelo norte, mais precisamente na minha terrinha.

-Possível data que pode ser alterada caso encontremos o local indicado para alimentar a boca dos convivas. Bem sabemos que é o mais difícil de arranjar mas caramba falta mais de um ano e quando vejo que há noivas que casam em 2017 e já têm quinta desde 2015 fico a pensar o quanto anormal eu sou.
Quando soube que efetivamente ia casar, nos "entretantos" tive ataques de bipolaridade, sim, por vezes tendo a ser um pouco bipolar, mas neste caso podem ser apenas as hormonas de noiva a falarem por si, isso existe certo? Hormonas de noiva existem tal como a das grávidas? Digam que sim, please! Então, quando soube que efetivamente ia casar foi das primeiras coisas que começamos a ver. Já não tenho um casamento na minha família há mais de 10 anos, amigas minhas ainda não casaram, então não estou assim muito dentro do assunto da oferta que existe por cá. Vai daí juntei-me a tudo o que era grupos de noivas no facebook, pode ser bastante útil tenho-vos a dizer, aderi também a alguns sites de noivas e fui fazendo uma seleção daquelas que mais me aqueciam o coração. O namorado fez o mesmo e chegamos a algumas conclusões. Este fim de semana fizemos as primeiras visitas. (falo sobre isto num outro post)

-Tema do casamento escolhido pelo noivo (soa bem dizer noivo, é chic para xuxu, ui, ui), que não podia ser outro, pois é um tema que nos define aos dois, que nos uniu e que nos representa.

-Possível decisão quanto à boda civil ou religiosa e qual o local para a mesma se realizar.

-Qual o carro em que vou, sim podia muito bem ser das últimas coisas a ser tratadas mas é um carro com uma grande carga sentimental e que tem de ser tratado com tempo. Façam figas, façam figas.

-Fotógrafo ainda está em águas de bacalhau, tenho um fotógrafo na família, conheço o trabalho mas a questão é que é um primo meu, do qual gosto bastante e não o queria perder como convidado. Então está assim em águas de bacalhau.

-Temos uma pré lista de convidados e contamos, para já, tende a aumentar e a diminuir também, com uns 170 convivas, coisa pouca portanto.
Quem manda ter escolhido um noivo que só ele tem quase 100 convidados? Se ainda não têm noivo, aviso, antes de avançarem para o casório perguntem qual a lista de convidados dele. É que isto podia ser muito normal, fosse o caso de ter uma família grande, mas não, desenganem-se, apenas tem uma tia o resto são mesmo amigos, alguns como família que não fazia sentido não serem convidados.

- Lua de mel com algumas hipóteses, talvez sejam muitas, mas são todas locais que ambos queremos muito visitar. Posso avançar para esta fase já?

-Sabemos que queremos ter um apontamento no casamento do qual eu não quero abdicar, das quintas que visitamos apenas uma nos permite fazê-lo. Alguém vai perder clientes, eu estou avisando, alguém vai perder clientes, isso ou viro uma fora da lei. Cuidado, tenho uma bridezilla a crescer dentro de mim a cada segundo que passa.

Penso que para já é por aqui que estamos, há muito a fazer, muito a planear e por vezes penso que é quase impossível. Uma pessoa passa anos da sua vida a dizer que não quer casar, passa anos da sua vida a dizer que não, porque não e blá blá.
Depois, depois encontra um príncipe, que não tem um cavalo branco mas tem um carro e muda de ideias, decide que afinal quer casar. Decide que quer uma banda de baile e um porco no espeto e uma festa ao ar livre, decide que quer um vestido da Rosa Clará ou Pronovias , decide que quer uma festa vintage, decide que quer um casamento lindo, como o amor que os une e depois percebe quem nem sempre o que idealizamos pode ser tal e qual e aí começa o problema. Mas isso deixo para depois.



quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Primeiro dia de trabalho!

Hoje foi o meu primeiro dia de trabalho, ainda numa fase muito experimental e a ver no que vai dar. Posso vos dizer que sou a única menina no meio de machos, mas machos de verdade daqueles de mãos com calos e cheias de óleo. Vamos lá ver o que sairá daqui.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

A semana passada fui levar o meu avô ao centro de saúde, eu precisava de tratar de umas coisas estacionei e a minha avó ficou a minha espera.
Quando estou a  chegar ao carro percebo que ela está cá fora à minha espera, pensamento "Pronto, bateram-me no carro". Continuo calmamente aproximo-me e sim, confirmava-se tinham-me batido no carro.

Tinha sido uma senhora já com alguma idade, para cima de 60 e estava bastante nervosa, só me dizia "desculpe senhora, eu não vi bem". Tinha-me partido um farolim e arranhado o para-choques disse-lhe para não ficar nervosa, que não fazia mal, pode acontecer a qualquer um.
"Mas eu pago, não se preocupe, eu pago!" Disse-lhe que sim, que via com o meu pai e depois lhe ligava a dizer o valor. Assentiu que sim, deu-me o contacto e lá fomos à nossa vida.


A minha avó que tinha estado a falar com a  senhora, disse-me que ela tinha ido com o marido ao médico, "ele não consegue conduzir, vê mal e anda manquinho", então era ela que tinha de conduzir, mas não gostava nada. MAs era a única forma que tinham de poder ir ao medico.

Ontem, foi o dia que fui ter com a Senhora. Liguei antes, a avisar e atendeu-me o marido, "Sim, sim venha. Eu vou descer já, a minha esposa não pode ir, está com falta dar, mas eu vou já menina".
Desliguei o telemóvel e fiquei com o coração apertado, sou uma coração mole e há situações que me partem o coração.


segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Dias difíceis

Têm sido dias muito difíceis.

A minha mãe sabia que queria casar para o ano, sabia que era algo que queria muito. Quando fui pedida em casamento fiquei feliz, muito feliz mas de seguida percebi que era uma felicidade cheia de tristeza, cheia de angustia por trás.
A minha mãe seria a primeira pessoa a quem iria contar que estava noiva, nunca fiz nada sem contar à minha mãe, éramos muito próximas e costumo mesmo dizer que não dava um peido sem que não lhe conta-se. (desculpem a linguagem)
Nos meus quatro anos em Coimbra, na ida de Erasmus para Itália, num ano de trabalho em Viseu não houve um único dia que não falássemos, que não lhe ligasse e estivéssemos minutos a fio, por vezes horas, que ligássemos à hora de almoço e depois novamente à noite, que partilhássemos os maus e os bons momentos.
Assim, nos últimos dias tem sido bastante difícil para mim pensar que vou casar e não a tenho fisicamente, pensar que não terei ao meu lado a confidente com quem contava para partilhar cada pormenor.
Não sei se estou preparada para esta fase.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Ainda do fim de semana

Como tinha dito o fim de semana foi repleto de surpresas. A maior de todas foi o pedido de casamento, SIM!!!! estou noiva e SIM!!!! também disse SIM!!! CLARO QUE SIM!!!!

Já tínhamos falado sobre o assunto, já tínhamos pensado em casar no próximo ano e diz o namorado que andava desde Dezembro a pensar como me haveria de pedir. De repente, tudo mudou e ele ficou um pouco receoso do "Aceitas casar comigo?".
Fiquei feliz, não é todos os dias que o HOMEM da nossa vida nos pede para ser dele o resto da sua vida, nos pede para o ver velhinho, mesmo com as peles a cair e abraçadinhos para a eternidade.
Sim, sou uma romântica e acredito no amor para sempre. Cresci rodeada de amor, o amor dos meus pais, sincero, lindo e brincalhão, com o amor dos meus avós, sem preconceitos e explosivo e recentemente assisti ao amor dos avós do namorado, um amor enorme, cúmplice e apaixonante.

Quero um amor assim para mim, um amor até ao fim, cúmplice e aconchegante.
  
Não tinha como dizer não ao nosso amor, não tinha como negar um pedido que sei que é sincero e puro, não tinha como dizer não à felicidade. Assim, de repente passei de namorada a noiva e um dia serei a esposa.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Do fim de semana

Foi fantástico, relaxante, não sei como é que em 26 anos ainda não me tinha dado ao luxo de uma massagem às cruzes e foi cheio de amor.

Fomos até Penela, uma vila que nos diz muito, a terra onde o namorado passou a infância com os seus avós e a terra que queremos que seja nossa.
Desde Dezembro que sabia que o fim de semana seria passado no Hotel HD Dvecitania. Aconselho, acolhedor, funcionários muito simpáticos e o ambiente é fantástico. Pena mesmo foi o tempo, no nosso caso que conhecemos a zona não ficamos muito tristes, fomos mesmo para relaxar e aproveitar o momento a dois (infelizmente não são assim tantos) e digamos que para o efeito o tempo estava à medida.

Assim, o dia foi passado a pastelar, piscina, sauna (maravilhosa), massagem, amor, mais amor e muitas surpresas. Ficará para sempre na nossa memória e na nossa história.










segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Do fim de semana

Há muito a dizer, há muito a contar mas primeiro vou "absorver" a informação e depois partilho.


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Vou só ali descansar um pouco, massajar as cruzes, aproveitar o jacuzzi e amar muito o homem da minha vida.
Volto em breve, isso ou fico fã e viro dondoca.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Essa coisa chamada de burocracias


Quando a minha mãe ficou doente foi nos dito que as coisas não andavam mais rápido por causa de burocracias, que por vezes era preciso preencher muita papelada, obter autorizações e isso fazia atrasar o processo.
Achei tudo muito estranho, falávamos da vida de uma pessoa e no meu entender não era assim que as coisas deveriam funcionar. 
Corri a vários sítios, um dos quais o IPO, falei com várias pessoas, pedi, supliquei mas nunca ninguém teve a vontade de ajudar verdadeiramente. A verdade é que o tempo era precioso foi passando e o desfecho foi o mais triste de todos.
Agora que precisamos de uns papeis, por questões de seguros, voltamos novamente às burocracias, voltamos aos papeis e voltamos às autorizações.
Com tudo isto fico sem perceber o porquê de tanta papelada, o porquê de andarem com as coisas de um lado para o outro e não resolverem logo as coisas. Andam num jogo de empurra, atrasam as coisas e porquê? Porquê?

domingo, 7 de fevereiro de 2016

DIY - São Valentim

Desde pequena que lembro de gostar de fazer trabalhos manuais. Lembro-me de ir à costureira com a  minha mãe e trazer sobras de tecidos para fazer as roupas das bonecas. Por vezes tornava-me bastante chata até.
No carnaval queria ser eu a fazer as roupas, uma vez fui de palhaço, com umas calças com um arame em cima e uns mega suspensórios. Claro está que por vezes sobrava para a minha mãe que me dizia sempre, "Estás sempre a inventar!". É bem verdade, estou sempre a inventar, tenho sempre mil e uma ideias, mas por vezes falta-me o material e acabo por desistir, outras vezes vou a correr comprar e meto mãos à obra.

Ontem fui até à primark e quando avistei uns luzes tipo os piscas de natal, achei que podíamos ser felizes juntas.


Os tecidos já moravam cá em casa, iam ser para umas almofadas,já cá estão há quase um ano e almofadas nem vê-las.

E o resultado final um quadro com coração e luzes à volta. É relativamente fácil de fazer e acho o resultado final bem fofinho.
Podem fazer com letras, com outros tecidos, podem fazer da forma que gostarem mais.


(Custo máx. 4€)


sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Há um dia em que acordamos às quatro da matina aos gritos porque entramos em pânico quando o nosso irmão nos toca porque teve um pesadelo. Hoje foi o dia!
Juro que foi muito estranho, lembro-me de sentir algo muito estranho começar a gritar, muito e muito alto e ver o meu pai a chegar a perguntar o que se passa.
Vou começar a tomar o xanax da minha avó, só que não.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

DIY- Dia de São Valentim

Ao longo da vida não me posso queixar de ter ao meu lado os melhores. Sou uma sortuda por ter tido os melhores pais do Mundo, o melhor irmão, os melhores avós, os melhores tios e agora O MELHOR NAMORADO. (Também tenho os melhores amigos, mas esses fui escolhendo ao longo da vida.)

Sendo assim, e porque realmente tenho o melhor namorado do mundo, podia enumerar as qualidades mas ainda me roubavam o namorado, vou apenas dizer que é o melhor. 
Sei, desde o dia do meu aniversário (foi um dos meus presentes), que o fim de semana do dia dos namorados será passado num hotel, com direito a massagem a dois, jantar romântico, decoração no quarto e muito amor. Duvidavam que tinha o melhor namorado do mundo? Pois, também me pareceu. 

Então decidi fazer-lhe uns miminhos, ambos gostamos de partilhar presentes elaborados por nós.  Sendo assim, vou partilhando com vocês algumas das minhas ideias. 






(Podem ir a um carpinteiro e comprar uma tábua com a medida certa, evitam ter de colar várias tábuas do mesmo tamanho e fica mais bonito. Eu quis economizar e fazer com aquilo que tinha por casa. )

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Uma semana

Da minha mãe herdei a boa disposição, o sorriso, a palavra certa e nunca desistir. A vontade de fazer sempre mais e melhor e a palavra sempre, mas sempre encorajadora.
Força era o seu nome do meio, doce a sua maior qualidade.

Podia enumerar as imensas qualidades dela, eram muitas e posso garantir que poucos eram os defeitos, a teimosia era o principal.
Percebi, numa semana, que a dor é imensurável, que a falta dela é constante e o vazio enorme. Mas também percebi que ter-te tido como MÃE foi a maior das sortes que tive, foi um privilégio, foste MÃE o tempo todo.

Guardo as melhores das recordações, prometo honrar-te e fazer de mim aquilo que tu desejarias que eu fosse. Sei que estarás sempre presente, agora de uma forma diferente, mas ser MÃE é ser para sempre.

Obrigada por teres feito parte da minha vida, obrigada por me ensinares a ser tão forte e obrigada por me teres amado tanto e assim fazeres com que eu te amasse ainda mais.



(O blog voltará ao seu "normal".)


quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

O FIM!

Ontem foi o último dia que toquei naquela que era o meu porto de abrigo, o meu amor maior, a minha força, a minha vida.
Fria, gelada, mas ainda o teu corpo. Ainda a esperança que fosses tu.
Não nos deram a esperança de lutar, não nos deixaram tentar, lutamos uma luta desleal, onde ele foi mais forte que nós, novamente!
Prometi que desta vez vencíamos nós, falhei! Prometi que faria justiça, não falharei!
Farei das tuas últimas palavras "Se eu morrer chama a televisão", uma ordem, uma missão e espero que mais Rosas não sejam negligenciadas.

Fica um vazio, uma dor que não há medida, uma vida destroçada, uma casa vazia. Um marido de rastos e os filhos perdidos. Mas fica também o teu carinho, o teu amor e a tua força. A TUA FORÇA, essa que era maior que a nossa dor. Essa que ia contra tudo e todos, e sabemos que lutaste até ao fim. A tua última lágrima, no canto do olho, mostra que a tua força foi até ao fim.
Nós prometemos honrar-te, prometemos dar o nosso melhor, mesmo nos dias mais escuros, prometemos ser aquilo que tu sempre quiseste que nós fôssemos.

Prometemos amar-te até ao último segundo, prometemos nunca nos esquecermos de ti!






domingo, 24 de janeiro de 2016

Hoje quando fui votar, cruzei-me com aquele que foi a minha primeira paixão, desde a primária até ao básico.
Estava mais o meu irmão, foi a primeira vez que votou (como os putos crescem), e confirmei e voltei a lembrá-lo que só se chama B. porque o B. também se chamava.
Eu: "Viste o rapaz que cumprimentei? "É o B. aquele por quem era apaixonada na primária e por isso pedi à mãe para te chamares B. também."

Fica na inocência que foi só por isso que se chama B. mas na verdade, era o nome que os meus pais gostavam, a par com Nuno mas já havia um na família e acabou por ganhar o B.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Diário de um cabrão

Dia 14

Ontem a minha mãe teve a primeira consulta de oncologia, no hospital de Famalicão. Foi uma consulta de grupo e nesse mesmo grupo estava o doutor negligente Rui Serra.
Já o tinha ignorado uma vez nas urgências e voltei a ignorar, o que é dele está guardado e neste momento preciso das boas energias todas canalizadas para o que realmente é importante nesta fase. 

Basicamente fizeram a minha mãe sair do conforto do lar, ela está bastante debilitada, para lhe dizerem que os papeis serão enviados para o IPO do Porto e que demorará 2 semanas, mais ao menos, a ser chamada. Quando disseram duas semanas eu quase lhes mordia, que nem uma cadela raivosa. Ainda lhes perguntei, "não dá mais cedo?", "não é o tempo normal dos papeis".
Não percebo como é que dizem a alguém que já tem metástases no fígado, na uretra  e que todos os dias se nota mais debilitada que terá de esperar mais duas semanas.

Tenho a sorte, a feliz sorte de ter um sogro que tem alguns conhecimentos, que felizmente graças à sua profissão conhece um pouco de tudo e neste caso foi bastante útil. Corri em socorro, sei que a minha mãe não aguenta duas semanas de espera, sei que o linfoma é curável mas também sei que avança a olhos vistos. Fiz de tudo para que conseguisse agilizar as coisas, para conseguir andar com as coisas para a frente.

Hoje, estou a caminho do IPO do Porto, estou a caminho de salvar a minha mãe porque sei que por ela ia até ao FIM DO MUNDO.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Diário de um cabrão

Dia 13


Desde Novembro que as coisas não iam muito bem na barriga da minha mãe. Em Outubro descobriram uma massa no fígado e desde então começou a ser vista no hospital.
Foi pedida uma biópsia pela médica que foi rejeitada de seguida por outro médico tendo pedido uma ressonância que foi marcada para hoje.
Entretanto em Dezembro as dores de barriga da minha mãe aumentaram. Foi ao centro de saúde, acharam tudo estranho e encaminharam para o hospital.

Hospital, Take1:
Levava uma carta, da médica do centro de saúde, que pedia exames para verem de onde viria a dor. Chegou lá, foi vista por um burro (perdão aos burros) que a mandou para casa, andava uma virose em cena e de certeza que era isso que ela tinha.
Óbvio que a minha mãe voltou para casa e não tomou nada do que ele lhe deram.

As dores continuaram e dia 21 de Dezembro apareceu-lhe um nódulo na vagina e os gânglios das virilhas estavam inchados. Algo não estava certo e lá fomos nós ao hospital novamente.

Hospital, Take2:

Foi encaminhada para ginecologia com pulseira verde. Foi vista pela ginecologista dela (Dra P.) que achou tudo aquilo estranho, era uma massa dura num local anormal e achava ela que estaria relacionado com o nódulo do fígado. Mandou-a para cirurgia e quando lá chegou começou a festa.
Esteve a soro, a enfermeira era uma bruta e o médico um irresponsável negligente.
Passadas umas duas horas foi chamada para ter alta.
Rui Serra (o negligente): "A senhora não tem nada que justifique essas dores. Não anda bem emocionalmente, tem de ir ver isso."
Mãe: "Mas a Dra. P. disse que o nódulo e as dores deviam estar relacionadas com o fígado e mandou-me para cá."
Rui Serra (o negligente): "A senhora não está cancerosa, não faça filmes. Aqui o médico sou eu, se lhe digo que não tem nada, não tem!" "Daqui leva alta e se não estiver esclarecida vá à Dra P. e peça-lhe um esclarecimento"
Eu: "O senhor está a dizer que as dores são da cabeça da minha mãe, basicamente está a chamar-lhe mentirosa, sabe isso não sabe?"
Rui Serra (o negligente): "Não há nada que justifiquem as dores que a sua mãe diz ter. Mesmo assim mando-lhe o Buscopan para ela tomar de 8 em 8 horas e o diazepam para descansar. O que ela precisa é de dormir bem 3 dias."
Eu calei-me, não queria mandar o Senhor sabichão à merda e viemos embora. Não sem antes ele fazer questão de me dizer que tinha o nome dele na receita que me podia ser útil.
(Nem ele sabia na altura o quão útil me irá ser quando mandar a queixa para a ordem dos médicos)

A minha mãe foi aguentando, dia após dia, dores atrás de dores até dia 4 de Janeiro. Nesse dia encontrou um anjo, um anjo que a acompanha até hoje, mesmo não sendo da área dela. Se não fosse a Dra. Emilia Jácome ainda hoje a minha mãe estaria sem saber o que tem. Exame atrás de exame, biópsia feita por ela à socapa de todos e por iniciativa própria e dia 15 de Janeiro chegou o veredicto.

Linfoma de alto grau.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Bora lá relativizar..

Uma pessoa pega no carro, feliz e contente e de repente luz da reserva da gasolina a piscar. Tudo seria normal não tivesse eu um carro a gás e não enchido o depósito/botija na terça. Olho para o aparelho do gás e a luz da gasolina não se apaga, tento mudar para gás e nada. Disse uns quantos caralhetes, não disse mais porque levava  a minha avó ao lado e respeitinho é muito bonito. Toca a ligar para o pai, isto de ser mulher e ter carro tem muito que se diga, mas este não nos pode valer muito.
Como ando numa fase de relativizar, fui almoçar e de tarde resolvi o assunto, sem pensar muito naquilo.
Lá fui eu até uma oficina, rodeada de homens, homens de mãos negras cheias de óleo, ligam um cabo ao carro outro a  um PC, dez minutos e problema resolvido.
Como neste mundo ainda há pessoas boas, vim embora e o senhor nem dinheiro me levou, como também sou boazinha (tem dias), lá deixei uma nota ao senhor como forma de pagar o tempo que perdeu.

Relativizar é a palavra deste mês e certamente a palavra do ano.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Cusca que sou...

Uma pessoa está numa sala de espera, à espera que a mãe faça mais um dos 20mil exames que tem para fazer, claro está que se tem de entreter com alguma coisa.

Ontem prestei especial atenção a um rapazola que conversava com a sua mãe. Estava muito feliz com a sua conquista, a miúda andou a encornar o namorado com ele, mas agora terminou tudo e estava com ele. Nada sério dizia ele, até porque ainda saiam em segredo, mas os pais dela já sabiam da existência dele. Nada sério portanto! A mãe muito preocupada disse-lhe para não magoar a miúda e de seguida perguntou-lhe se gostava dela. "Gosto, quer dizer, gosto de estar com ela e é sempre bom ter companhia para ir sair, ir ao cinema, ..."
A pergunta chave foi quando a mãe lhe perguntou se não tinha medo que ela lhe fizesse igual, que o andasse a enganar. "Não, eu não sou otário, ela a mim não fazia metade do que fez ao outro!" "Quando ela me deixar de responder às mensagens eu desconfio logo, sou ciumento, tu sabes. Mas eu confio nela, ela a mim não me faz isso"
A conversa continuou por ali fora, até que "fomos" interrompidos pela funcionária que chamou a mãe dele.

Não compreendo o que leva alguém a pensar que o outro é otário e ele um dia não o pode vir a ser. Bem sei que as pessoas mudam, que o facto de a miúda ter traído o ex namorado não significa que o vá trair também, mas eu era incapaz de ficar com alguém que tivesse traído a namorada. Para além de que era incapaz de compactuar com tal coisa.
Sou da opinião que quem não está bem dá meia volta e segue a sua vida, ninguém é obrigado a estar com alguém que não se gosta, muito menos estando a enganar a outra pessoa.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Desejos num dia cinzento de inverno.








Gosto de números ímpares, gosto do 5, do 7, do 13, do 15, do 21, do 23 e de mais alguns.

Hoje é dia 13, hoje preciso de boas noticias, preciso de boas energias de resultados bons. (podia dizer positivos, mas na verdade quero que sejam negativos).
Pouco dormi durante a noite, apesar de adormecer bem cedo, passei a noite toda à voltas na cama, estou com a ansiedade no nível máximo e pouco posso fazer para melhorar. Resta-me esperar, sempre com pensamentos positivos e boas energias.

Para me aconchegar umas UGG nos pés vinham mesmo a calhar. 








segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Por cá...

Primeiro veio uma senhora varrer as folhas e deixar na berma. Depois veio o senhor lavar, tinha acabado de chover há minutos, durante mais de 15 minutos.
Assim é o trabalho dos funcionários da câmara.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Esse Cabrão chamado cancro

Há uns anos atrás assisti aquela que veio a ser a pior noticia na vida da minha tia. Foi a sua sentença de morte adiada por uns longos anos. Uns anos de alegria, outros de sofrimento mas nunca o cabrãozinho lhe tirou a força e a vontade de vencer, simplesmente foi mais forte.

Hoje, ele voltou a bater à porta, aquela que não se abriu mas mesmo assim ele entrou sem pedir. Eu voltei a receber a noticia, desta vez com a minha mãe.
Hoje doeu mais, hoje ele bateu numa porta que já não o esperava mais, que não o queria ver mais à frente, que tinha uma feria cicatrizada mas dorida. Chegou novamente sem pedir, sem anuncio prévio, já devíamos saber que és um mal educado, sem noção alguma, mas pelos vistos ainda não te sabemos tudo.
Hoje chegaste, mas hoje encontraste-nos mais fortes, com mais força, com garra e com a certeza que desta vez vencemos nós.
Desta vez vencemos nós.







Há um dia em que descobrimos que uma das nossas amigas está grávida e esse dia torna-se ainda mais feliz por sabermos que o seu sonho cresce de dia para dia dentro dela.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Ano novo vida nova!

Nunca achei assim muita graça à passagem do ano, nunca acreditei que algo fosse mudar efetivamente. Para mim era apenas uma continuação do que estava para trás, apenas mudava um número na data como muda sempre que mudamos de mês.
Não sei se por 2015 não ter sido tão simpático como desejaria, se por estar mais velha e começar a ver o tempo a correr a verdade é que nunca esperei tanto por uma mudança de ano.

Não pedi desejos, não comi uva passa a uva passa apenas senti a força necessária para querer mudar. Não tenho 12 desejos, tenho muitos mais, tenho muitas mais coisas que gostaria de fazer e se não for eu a fazer por elas quem fará? Vai daí, de semana a semana tenho objetivos para cumprir, que estão englobados de mês a mês. Se todos os dias mudar um bocadinho aquilo que estava mal no ano anterior certamente chegarei ao final deste novo ano muito mais realizada.


sábado, 2 de janeiro de 2016

Bom Ano!


Um ano bem brilhante para todos.
Ainda pensei que teria tempo de passar por cá dia 31 mas foi impossível, só parei à noitinha. Sendo assim, desejo a todos um bom ano que seja repleto de coisas boas e todos os vossos desejos realizados.
Agora, agora vou aproveitar o mimo do meu namorado e continuar a festejar.


BOM ANO!