quarta-feira, 16 de dezembro de 2015


Não fiquem chocadas com a imagem porque em choque estou eu e é com o dia que nunca mais acaba.
Foi o jardineiro que decidiu vir cortar a relva às oito da manhã, estragou o meu sono de beleza e só por isso acordei com uma borbulha no queixo. Se passarem por uma miúda mega gira na rua com uma borbulha no queixo posso muito bem ser eu.

Depois foi no parque de estacionamento, um senhor todo irritado ia batendo num outro (bem mais velho) só porque este queria ir para o lugar que era dele. Fui as compras e ia a sair quando o mesmo senhor vem atrás de uma senhora, com uma criança pelo braço, e novamente a oferecer porrada.
Não entendo as pessoas que acham que só à porrada é que se resolvem as coisas, conversar seria muito mais fácil. Mas não consigo compreender mesmo é a falta de tomates destes homens que oferecem porrada a senhoras que levam pela mão crianças. O homem era doente, se não era o segurança a intervir eu não sei, não.

De tarde, uma reunião de mais de uma hora por causa de um mal entendido entre o meu avô e o condomínio e ainda assim não ficou resolvido. Se os funcionários fizessem as suas funções devidamente e não complicassem as coisas era tudo muito mais fácil, é só o que tenho a dizer.

Agora vou ali relaxar um bocadinho porque as estes três acontecimentos juntaram-se mais alguns, mas agora é hora de esquecer.

2 comentários:

  1. Descansa, amanhã é um novo dia (=

    ResponderExcluir
  2. Que stress!!! Cá foi o técnico da máquina de lavar que chegou às 8h40!

    ResponderExcluir