quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

2015 - Coisas menos boas

Este ano não foi bom, não adianta chorar sobre leite derramado mas a verdade mesmo é que foi mesmo mau.
No trabalho foi horrível, não há palavra melhor para descrever, desempregada, formação no centro de emprego, trabalho no McDonald’s, um dia falo sobre essa experiência, horrível! Email´s enviados, imensos, respostas poucas, entrevistas de emprego, numa delas fui a escolhida mas como não podia fazer novamente estágio profissional tiveram de optar por outra pessoa e até para empregada do continente fui rejeitada.

Na saúde não tenho muito do que me queixar, uma noite no HUC por causa do meu estômago, os meus fibroadenomas mantiveram-se quietinhos, como já é hábito, e nada mais há a relatar.

No amor, começou um pouco torcido, as distancias são complicadas, são 5 anos de namoro em que nem sempre estamos juntos, por vezes são três semanas sem nos vermos e há dias em que é fácil viver assim outros nem por isso. 2015 era o ano em que pensamos que iríamos viver juntos, infelizmente não foi, mas a hora vai chegar. No final o que importa mesmo é o amor e esse é maior que tudo.

Na amizade fez-me viver coisas menos boas, fez-me perceber que por vezes damos tudo a quem não nos dá nada, nem um obrigada. Um dia espero poder falar do assunto sem que me venham as lágrimas aos olhos, sem magoa, sem arrependimentos, um dia quem sabe.

Passado para mim é passado, não gosto de estar sempre a pensar no mesmo, de me martirizar pelo que aconteceu. Para mim é simples, se foi assim é porque tinha de ser e só serviu para me dar força para que daqui para a frente seja diferente.



2 comentários:

  1. Estou numa relação à distância e sei bem do que falas, considero-me muito independente e até gosto de estar sozinha mas às vezes duas semanas mais parecem dois meses.
    E parece realmente ter sido um ano duro mas espero que estas dificuldades te ajudem a saborear os bons momentos de 2016 ainda mais.

    ResponderExcluir
  2. Estou numa relação à distância e sei bem do que falas, considero-me muito independente e até gosto de estar sozinha mas às vezes duas semanas mais parecem dois meses.
    E parece realmente ter sido um ano duro mas espero que estas dificuldades te ajudem a saborear os bons momentos de 2016 ainda mais.

    ResponderExcluir