quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

2015 - O bom!

2015 também teve coisas boas, começando pela minha avó que foi operada ao coração e recuperou como uma jovem.
A minha família, mais unida que nunca, fez aquele que será o primeiro de muitos piqueniques dos Silva.
Conheci mais um pouco do nosso país, não tanto como eu desejei mas já foi bom.
Eu e o namorado chegamos à conclusão final daquele que será o nosso projeto de vida, foram mil e uma ideias, mil e um projetos mas finalmente chegamos aquele que é O projeto.
Foi um ano de aprendizagem, um ano que me ensinou bastante, me fez crescer, arrepender, a pedir desculpas, a amar ainda mais, a não acreditar em tudo, a saber ver todos os lados e a saber viver.

Lousã - Coimbra


A caminho de Piodão



Piodão - Foz da Égua


São Bartolomeu do mar - Esposende
 
Régua
 





2015 - Coisas menos boas

Este ano não foi bom, não adianta chorar sobre leite derramado mas a verdade mesmo é que foi mesmo mau.
No trabalho foi horrível, não há palavra melhor para descrever, desempregada, formação no centro de emprego, trabalho no McDonald’s, um dia falo sobre essa experiência, horrível! Email´s enviados, imensos, respostas poucas, entrevistas de emprego, numa delas fui a escolhida mas como não podia fazer novamente estágio profissional tiveram de optar por outra pessoa e até para empregada do continente fui rejeitada.

Na saúde não tenho muito do que me queixar, uma noite no HUC por causa do meu estômago, os meus fibroadenomas mantiveram-se quietinhos, como já é hábito, e nada mais há a relatar.

No amor, começou um pouco torcido, as distancias são complicadas, são 5 anos de namoro em que nem sempre estamos juntos, por vezes são três semanas sem nos vermos e há dias em que é fácil viver assim outros nem por isso. 2015 era o ano em que pensamos que iríamos viver juntos, infelizmente não foi, mas a hora vai chegar. No final o que importa mesmo é o amor e esse é maior que tudo.

Na amizade fez-me viver coisas menos boas, fez-me perceber que por vezes damos tudo a quem não nos dá nada, nem um obrigada. Um dia espero poder falar do assunto sem que me venham as lágrimas aos olhos, sem magoa, sem arrependimentos, um dia quem sabe.

Passado para mim é passado, não gosto de estar sempre a pensar no mesmo, de me martirizar pelo que aconteceu. Para mim é simples, se foi assim é porque tinha de ser e só serviu para me dar força para que daqui para a frente seja diferente.



segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Do Natal

Já lá vai, infelizmente, mas foi muito bem passado junto daqueles que mais amo e bem quentinho no coração.
Houve tempo para brincadeiras, para conversas sérias, muitos jogos de sueca a chegada do pai natal e ainda a distribuição do amigo secreto. O amigo secreto tornou-se o momento alto da noite, como tem sido todos os anos e sem dúvida alguma que de ano para ano torna-se cada vez mais divertido.
Deixo algumas fotos da noite e do dia mais quentinho do ano, para mim claro está.


 Este ano houve direito a brincadeiras, feitas por mim que se tornaram em belas fotos.
 Para variar um bocadinho, os meus pais decidiram pregar uma partida a mim e ao meu irmão. Nada mais que dois pacotes de Tuntum Manga-Um bongo cheios de botões em que embrulhados em algodão tínhamos o nosso miminho. Sorte das sortes foi sermos avisados para abrir os pacotes, caso contrário seria um problema.
Natal sem peru, não é natal! Assim mãos na massa e saiu este belo peru suculento recheado com alheira e bacon e temperado com laranja, tomilho, alecrim, sal, pimenta e muito amor. Resultado final, delicioso.

Um pouco da nossa mesa da Ceia.

sábado, 26 de dezembro de 2015

No dia do nosso aniversário...

Recebemos a noticia que um amigo, daqueles desde a primária, teve um acidente e está em coma. Também nós ficamos em coma por uns segundos, também nós pensamos na vida e em como ela é injusta, também nós sentimos o coração apertado mas depois, depois levantamos a cabeça e ganhamos pensamentos positivos para passar boas energias.

Na estrada ando sempre com o maior dos cuidados, desde o meu acidente pior, depois o facto de ter perdido uma colega de curso num acidente trágico fez-me perceber que não queria dar um desgosto desses aos meus pais.
A mãe do meu amigo é a segunda vez que tem o coração partido, a primeira vez foi há mais de dez anos quando perdeu o filho mais velho num acidente de mota. Agora, agora vê o seu benjamim, o seu mais novo e a sua única companhia assim, frágil, a aguardar cada segundo a lutar pela vida e à espera de um milagre de Natal.

Nenhuma mãe deveria passar por tal sofrimento, como tal espero que  a mãe natureza seja piedosa e não nos leve uma pessoa, boa, alegre, bondosa e sempre pronto ajudar.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Bom Natal

Desejo a todos aqueles que passam por cá um ótimo Natal. Bem quentinho e aconchegado ao coração.
Façam Natal, partilhem e sejam felizes.


Feliz Natal!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Parabéns para mim, parabéns para mim...

Sim, hoje nasceu a miúda mais fixe do planeta, Eu.
São 26 anos, 26 anos entre adorar festejar o meu aniversário que era partilhado com a minha tia e passar a detestar festejar o meu aniversário. Hoje, após dez anos a festejar o meu aniversário sozinha, acho que me habituei à ideia e passei a voltar a gostar do meu dia.
Este ano irei fazer uma carta dedicada à minha pessoa, era uma ideia do ano passado, visto que fiz um quarto de século e seria aberta quando fizesse meio século. Assim, irei escrever este ano e irei abrir (espero eu) no meu quinquagésimo primeiro aniversário. Sim, daqui a 25 anos estamos cá a ver o que escrevi. Será a minha visão dos 51 aos 26, estão a perceber? Não?! Pronto deixem lá às vezes eu não bato muito bem do sótão, então com a idade a aumentar temo o pior.

Vá, vão lá beber um copo e brindem à minha pessoa que eu brindarei à vida e que ela seja longa para todos nós.

terça-feira, 22 de dezembro de 2015

DIY- Cantinho de Natal

Hoje mostro-vos o cantinho que fizemos por casa dos meus pais. A rena foi obra minha e do meu avô, com a supervisão da minha mãe. Tudo o resto foi feito entre mim o meu irmãos e os meus pais. Cá por casa somos todos maluquinhos pelo Natal.


segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Está tudo perdido

Quando o vosso irmão, mais novo, vos manda uma mensagem a dizer o que cozinhou e ainda se oferece a fazer para vós.





DIY - Natal (Argolas de guardanapos)

A minha mãe costuma dizer que todos os anos por a altura do Natal eu fico maníaca. Maníaca com tudo o que seja decorações de Natal, invenções e criações.
Este Natal lá por casa contamos com duas árvores, uma rena, umas argolas e umas brincadeiras para a noite de Natal.
Hoje mostro as argolas, comprei tecido, guardei os rolos de papel higiênico e meti mãos à obra.  O resultado final mostro depois do Natal, já com os guardanapos e na linda mesa de Natal que estou a imaginar e criar na minha cabeça.

sábado, 19 de dezembro de 2015

Feliz aniversário bebe

Há um ano atrás rumamos até Lisboa (Eu e o namorado), para ver o barrigão da irmã dele. Ainda faltavam uns dias para a princesa sair da toca e o mais provável era vir embora sem que ela nascesse.
A verdade é que há um ano atrás nasceste tu, a mais linda bebe de todos, a mais sossegada, a mais sorridente e um amor em bruto pronto a ser limado.

Desde o nascimento do meu irmão, lembro-me perfeitamente de todos os detalhes, foste o segundo nascimento que vivi de perto.
Foste uma malandra, estava eu a acordar, naquele momento que tanto adoro de ronha e ouço a tua mama a chamar-me. Pensei que ela estava maluquinha, a gritar daquela maneira só podia. Não, eras mesmo tu que tinhas decidido que estava na hora (sacaninha não quiseste nascer no dia da titia).
Sabes, a verdade é que eu e a tua mama estávamos sozinhas em casa, mais a tua irmã e eu, eu nunca tinha conduzido em Lisboa e tinha tido um acidente há dias. Então imagina lá o meu drama, conduzir em Lisboa e levar uma grávida, em trabalha de parto, até à maternidade. Ah, ainda por cima a tua mama tinha uma torneira aberta, não molhar o carro foi uma sorte.
Passaram seis horas até te vermos, foram horas divertidas, conversas parvas e a tua mama foi um exemplo, sempre calma que fazia parecer que não era a primeira vez.
Chegaste a sorrir, sim aquele gorro da maternidade era medonho mas o teu rostinho pequenino e redondo era lindo, ainda o é.
Trouxeste mais alegria, trouxeste mais amor e hoje, que rumamos novamente a Lisboa festejamos contigo o teu primeiro aniversário, o primeiro de muitos. Portanto vamos lá festejar e aproveitar todo o tempo que estamos contigo, porque infelizmente não são muitos.

Feliz aniversário Princesa.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Das partilhas...

Há tempos, lia eu um blogue de uma miúda que gostava bastante. Era divertida, engraçada, tinha sentido de humor e histórias de levar à lágrima.
Depois houve o dia em que partilhou que havia um canário que lhe andava a cantar à janela. Falou sobre ele, fez lhe elogios mil (ainda bem caso contrário estava o caldo entornado) e partilhou uma foto com algo que ele lhe tinha oferecido. Erro dos erros, ele partilhou também no facebook e eu, inocente da vida, percebi que o canário era um dos meus amigos.

Mural da história, se se quiserem manter no anonimato, nada de partilhar fotos no blogue e depois no facebook. O mundo é uma ervilha, pequenina.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015


Não fiquem chocadas com a imagem porque em choque estou eu e é com o dia que nunca mais acaba.
Foi o jardineiro que decidiu vir cortar a relva às oito da manhã, estragou o meu sono de beleza e só por isso acordei com uma borbulha no queixo. Se passarem por uma miúda mega gira na rua com uma borbulha no queixo posso muito bem ser eu.

Depois foi no parque de estacionamento, um senhor todo irritado ia batendo num outro (bem mais velho) só porque este queria ir para o lugar que era dele. Fui as compras e ia a sair quando o mesmo senhor vem atrás de uma senhora, com uma criança pelo braço, e novamente a oferecer porrada.
Não entendo as pessoas que acham que só à porrada é que se resolvem as coisas, conversar seria muito mais fácil. Mas não consigo compreender mesmo é a falta de tomates destes homens que oferecem porrada a senhoras que levam pela mão crianças. O homem era doente, se não era o segurança a intervir eu não sei, não.

De tarde, uma reunião de mais de uma hora por causa de um mal entendido entre o meu avô e o condomínio e ainda assim não ficou resolvido. Se os funcionários fizessem as suas funções devidamente e não complicassem as coisas era tudo muito mais fácil, é só o que tenho a dizer.

Agora vou ali relaxar um bocadinho porque as estes três acontecimentos juntaram-se mais alguns, mas agora é hora de esquecer.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Pai Natal??? Aandas por aí???

Uma viagem vinha mesmo a calhar. Uma pessoa esteve o ano inteiro neste belo país à beira mar plantado, nem ali à vizinha Espanha fui portanto parece-me bastante bem uma viagenzinha por este planeta fora. Fica a dica, sim???

Por agora é isto, escolhe um destino e faz-me esse gostinho.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Presentes, mais presentes e mais presentes.

Este ano em Novembro já tinha a maior parte dos presentes comprados, eu e a minha mãe gostamos de despachar tudo bem cedinho. Na terça aproveitamos o feriado e fomos despachar os restantes presentes.
 Confesso que o que me deu mais dores de cabeça foi o do namorado, mas já encontrei os presentes ideais. Já estão embrulhados e à aguardar o grande dia.

Agora estou com uma dor de cabeça ainda maior, falta-me os presentes para as meninas mais novas. Então é aqui que entram vocês nesta minha grande tarefa e nesta longa procura. Conhecem onde venda este tipo de t-shirts da foto? 


quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Os chicos espertos das filas

Hoje fui até ao hospital tratar de marcar uma consulta e um exame para a minha mãe. Como sempre, hoje não era diferente a fila era enorme. Estavam duas funcionárias a despachar uma fila "normal" e uma outra despachava a dos prioritários.

De repente começam aparecer os chicos espertos. Hoje tive o prazer, ou desprazer de me cruzar com três.

Chico esperto desentendido, aparece, vai se metendo ao lado da fila, entretanto percebo que na fila dos prioritários são menos e coloca-se a jeito para passar à frente.

Chico esperto burro ou faz-se, coloca-se nos prioritários, diz que a mulher é deficiente (não há sinal da mulher em lado algum) vê uma funcionária livre (funcionária esta da fila não prioritária)  e avança como se não houvesse amanhã.

Chico esperto inocente, chega com ar de anjinho, muito confuso e apenas quer fazer uma perguntinha.

Estes três chicos espertos (todos eles), quiseram passar à frente das restantes pessoas, o primeiro foi para a fila indicada assim que lhe disseram que para justificações teria de enfrentar a  fila com  15 metros de comprimento. O segundo, deixou de ser burro em dois segundos assim que a funcionária lhe disse que a fila dos prioritários era só uma, entendeu e ainda pediu desculpas (ao menos isso). O terceiro nem tempo teve de acabar a frase, assim que disse que era uma perguntinha as pessoas começaram logo a passar-se e a senhora só teve tempo de ir para a fila.

Percebo e compreendo que é uma chatice estar mais de 30 minutos numa fila, como eu estive, mas compreendo ainda mais o meu lado que estive aquele tempo todo à espera e entretanto uns quantos chicos espertos tentaram resolver o assunto em menos de cinco minutos. É injusto e as pessoas não compreendem isso, não compreendem que todos temos de esperar.


segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Pai Natal?? Andas por aí?


O Natal está à porta, o meu aniversário também e assim de repente acho que me portei bem durante o ano. Se não portei pelo menos tentei.
Então assim para já, se passares por cá pensa com carinho nos meus desejos.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Dezembro!

Dezembro é para mim o melhor mês do ano. Não por fazer anos, é uma grande chatice fazer anos dois dias antes do natal, mas por toda a magia que o mês envolve.
Em criança éramos sempre mais de 15 à mesa, família sempre reunida (como em várias alturas do ano) e eu delirava para que o pai natal chegasse. Mas do que eu gostava mesmo, era de ficar acordada até tarde, estar de volta da lareira com todas as mulheres da família, enquanto os homens jogavam à sueca, e ouvir as variadas histórias. Era o momento da partilha.

Hoje, crescida, somos 15 e continuamos com a partilha, continuamos com o mesmo amor, com a mesma alegria (apesar da falta de uma das mulheres da família), continuamos com o mesmo espírito de Natal e fazemos Natal no coração um dos outros. Porque somos uma família e família é isso mesmo, AMOR!

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Então quando casam?


Ou as pessoas são ceguinhas, ou parvas mesmo, que chegam a uma certa altura e a pergunta é sempre a mesma. Eu quero casar, nem sempre quis, não sonhei em casar desde cedo mas agora faz sentido fazê-lo, ambos queremos na realidade. Mas nem tudo joga a nosso favor, no entanto as pessoas acham por bem estar sempre a perguntar o mesmo.
Por vezes é mesmo mais fácil dizer que não queremos,  inventar umas desculpas do que explicar o óbvio e o que está aos olhos de todos.

Depois há o dia em que a própria sogra nos diz que está na hora de casar. Portanto querida sogra, antes de mais diga ao seu querido filho, giraço do melhor, que está na hora de fazer o pedido. Depois, pode sempre se oferecer para pagar a boda, teremos todo o gosto que o faça. Pode ainda nos arranjar uma casa, pode ser essa que tem alugada, expulse o inquilino e deixe-nos ir para lá viver, de graça claro! Se não for pedir demais e ainda estiver com vontade de contribuir mais um pouco, todos os meses pode nos dar uma mesada.